Moteto e Glosas


Concepção videográfica de uma peça cênico-musical de Gil Nuno Vaz, escrita em memória do Maestro Klaus-Dieter Wolff, regente do Madrigal Ars Viva.







MOTETO E GLOSAS (Gil Nuno Vaz)



A peça musical com ação cênica e projeção de imagens foi criada em 1976 e estreada no mesmo ano em concerto do Madrigal Ars Viva, com atuação do maestro Roberto Martins. Estruturada a partir de um poema (Moteto Perpétuo) do compositor, a peça inclui ainda fragmentos de poesias de Décio Pignatari e José Lino Grünewald, e trechos de canções de Willy Corrêa de Oliveira, cantadas ou regidas pelo maestro Klaus-Dieter Wolff, com acompanhamento do pianista e compositor Jorge Peixinho, além de falas do regente, ao qual a obra presta homenagem. O vídeo em exibição foi produzido em 2009.







Todos os conteúdos publicados em Cine Inês.

pacos_tempo_bp.jpg